Menu

Como chegar no Parque Nacional de Iguazu?

Como chegar no Parque Nacional de Iguazu?


   Não há como escolher o parque preferido! Tanto o brasileiro, como o argentino se enquadram em uma moldura distinta, revelando diferentes ângulos de uma beleza natural incomparável. Por isso, sugiro a visitação nos dois parques, sem distinção.

ATENÇÃO: os hotéis em Puerto Iguazu são melhores do que no lado brasileiro. No Brasil, a hotelaria focou na hospedagem executiva, pois isso, os preços são mais caros. Já na Argentina, você encontra os mesmos valores em hotéis super confortáveis. Fiquem de olho na lista abaixo:



Como chegar no Parque Nacional Iguazu?


   Você pode chegar de algumas maneiras, como:
  • da forma mais econômica, pegando o ônibus Puerto Iguazu no ponto localizado na rua ao lado do TTU (Terminal de Transporte Urbano) de Foz do Iguaçu. Ele não te levará até o parque, sendo assim, terá que fazer uma baldeação no meio do caminho. Geralmente a baldeação é feita assim que o ônibus entra na cidade de Puerto Iguazu, você desce no primeiro ponto, atravessa a pista para pegar outro que esteja indo em direção ao parque. Caso tenha dúvida, pergunte ao motorista ou a qualquer pessoa dentro do ônibus. Aguardando o próximo ônibus, alguns taxistas te oferecerão a corrida por 200 pesos, caso você consiga fechar um grupo de 4 pessoas, cada um pagará 50 pesos que seria o valor do ônibus. Nessa situação, o turista chega ao parque mais rápido e com conforto.
FOZ DO IGUAÇU: PONTO DE ÔNIBUS AO LADO DO TTU

Nesse momento de decidir se iria fazer a segunda pernada de taxi ou ônibus, conheci uma família paulista muito gente boa e resolvemos rachar o taxi até o Parque.
  • A outra opção econômica seria não descer no primeiro ponto de Puerto Iguazu e sim, no terminal de ônibus que fica no centro da cidade. Lá, você poderia pegar o ônibus da empresa Uruguay o qual faz esse trajeto por 50 pesos por pessoa.
  • Você pode fechar com uma agência de turismo um transfer de Foz de Iguaçu até o Parque;
  • Pegar taxi ou alugar um carro.

TTU ATÉ AS CATARATAS DE FOZ DO IGUAZU: MAPA DO GOOGLE
   Importante lembrar que a compra do ingresso do parque é realizada em pesos (moeda argentina). Caso você não tenha pesos e não saiba onde comprá-los, pegue uma dica de uma casa de câmbio perto do TTU de Foz do Iguaçu ou outra, na Av. Aguirre, em Puerto Iguaçu. Esses são os dois pontos que eu poderia recomendar, mas soube que até alguns motoristas de ônibus trocam real por peso, então, fiquem de olho na melhor cotação.

   Conheço pessoas que visitaram o parque por dois dias para percorrer todas as trilhas, mas se você tiver com o tempo restrito, guarde um dia inteiro. Tenho certeza que fará um belo passeio.

Sugestões de hospedagem em Puerto Iguazu:

Hotel Posada La SORGENTE
Amérian Portal del IGUAZU hotel
Gran Hotel TOURBILLON & Lodge
MELIA Iguazu
Hotel SAINT George
Loi SUITES Iguazu Hotel


   Clique aqui para informação sobre preço e horários do parque.

  Chegando no parque, a porta de entrada é pelo Centro Operativo, que oferece uma infraestrutura com guichês para a venda do ingresso, banheiros, lojas e catracas. Você recebe um mapa do local que te ajuda a decidir quais as trilhas que gostariam de percorrer.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU: MAPA DA CIA JUNGLE
   Logo em seguida você encontrará o Centro de Visitantes onde acontece uma exposição fixa de toda a história da flora, fauna e urbana do local. É muito interessante de ver.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   No próximo pavimento, você encontra lojas de souvenirs, lanchonetes, restaurantes, um estande para venda de ingresso do passeio de barco argentino e uma feira com produtos da tribo Mbya Guarani.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   Ali pertinho tem um ponto de informação que te indicará dois caminhos a percorrer:

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
  • para a trilha Sendero Verde, com seus 600 metros de extensão, aproximadamente 15 minutos, onde você pode observar alguns animais daquela região, como: tucanos, macacos e quatis. Essa trilha te levará até a Estação Cataratas;
  • para a Estação Central, ponto inicial do trem que te levará até a Estação Cataratas e Garganta.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   Ao todo são 3 estações que possuem lanchonetes, banheiros, bebedouros, mesas, área para fumadores e muitos quatis. Pois é, eles aparecem de todos os lados a procura de comida.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   O assédio dos quatis, que em primeiro momento parecem inofensivos, é constante. Infelizmente, alguns visitantes oferecem alimentos que fazem com que eles aprendam a assediar todos que passam. Lembrando que o alimento humano é nocivo para eles, além de os desmotivarem de caçar como animal selvagem.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   Por isso, cuidado com as sacolas, bolsas e mochilas. Eles não fazem por mal, mas a reação é de abrir suas sacolas pra buscar comida. Vi casos deles rasgarem uma sacola que estava pendurada no braço de um turista e abrir a bolsa de uma senhora que estava descansando em uma mesa.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   Os quatis são animais dóceis e amáveis, então, se houver reciprocidade do visitante, eles farão companhia de forma tranquila e gentil. E assim espero que seja, porque vi uma placa no parque referente ao ataque de quati quando se sente ameaçado. Acho que ninguém gostaria de passar por essa situação, pois as unhas são compridas e afiadas.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   Há 2 trilhas que saem perto da Estação Central: a Sendero Yacaratiá de 5,5 km e a Macuco de 3,5 km. Elas não são muito visitadas, por isso, um pouco desertas. O objetivo delas é levar a uma queda d'água e como o parque é grande e sua beleza está contida em assistir o conjunto de quedas d'águas, ao meu ver, deixaria essas trilhas individuais para depois de completar as principais.

   Caso você tenha escolhido fazer a trilha Sendero Verde, chegará na Estação das Cataratas, onde entrará numa fila para pegar o trem. Acredito que sempre haja essa fila, mas dependendo do período de visitação, alta ou baixa temporada, ela poderá ser tranquila ou não.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   Penso que tenham somente dois trens, um indo e outro voltando, e que se cruzam no meio do caminho, por isso, o tempo de espera pode ser de até 30 minutos. No trem cabem muitas pessoas, portanto a fila anda muito rápido.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   Já tinha visto em muitos blogs a sugestão de começar o passeio pela Garganta do Diabo e foi essa a opção que eu fiz. Logisticamente, é o percurso mais longo que levará mais tempo, mas é imperdível.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   O caminho de trem da Estação das Cataratas até a Garganta é de muito verde, beirando o rio e com alguns pontos de saída de canoas e barcos. Não fiz nenhum passeio aquático no parque argentino, mas se for de seu interesse, seria bom perguntar como chegar aos pontos de saída dos barcos.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   Ao chegar na Estação Garganta, você seguirá por um caminho suspenso que atravessará o rio Iguazu até a Garganta do Diabo com seus 2.200 metros (contando a ida e a volta), aproximadamente 2 horas, podendo também ser feita por cadeirantes. A imagem de cima é hipnotizante, mas por causa do volume de água, você não consegue ver muitos metros pra baixo. Sobe um vapor d'água constante que deixa o visual particularmente branco e com foco nas quedas.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   Agora é hora de apreciar a vista, se molhar um pouco e tirar suas fotos para recordação. É incrível a energia em volta e o lugar te convida para ficar por mais tempo e não deixá-lo tão rápido. Mesmo com outras trilhas a serem feitas, curta bem esse momento, faça tudo sem pressa e sinta a boa energia.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   Sobre a capa de chuva que muitos indicam, não precisei dela, porque queria me refrescar com aquele vapor. Mas vejam bem, eu visitei num período quente e não me importei de me molhar. O interessante é que vocês se sintam confortáveis e se acharem necessidade de levar, levem. Eu levei uma capa que não foi usada em nenhum momento.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   O retorno é pelo mesmo caminho suspenso da ida, então não há erro. No decorrer desse caminho, pude observar algumas espécies de borboletas e aves diferentes, que ainda não tinha visto por ali, além de um peixe, que me remeteu ao peixe dourado do Pantanal, e vigas antigas de ferro que eram usadas, antigamente, para chegar até a Garganta do Diabo.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   No caminho de volta você já começa a selecionar as outras trilhas e refletir se vale a pena fazer todas elas. Na Estação Cataratas, fiz uma pausa para lanchar junto com a família paulista que havia conhecido no trajeto antes de chegar ao parque. Fizemos todo o passeio juntos.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU: CLAUDEMIR, GUSTAVO E CAROLINE CAMARGO.
  Sempre levo sanduíches, biscoitos e água para lugares com pouca opção de venda de comida, mas quem não quiser se preocupar em levar um lanche, o parque oferece lanchonete perto da estação.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   As trilhas do Circuito Inferior e Superior iniciam-se bem perto dali. O Circuito Inferior tem aproximadamente a duração de 2 horas e oferece muitas vistas panorâmicas. O Circuito Superior, aproximadamente 1 hora, podendo ser feita por cadeirantes.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   Como já tínhamos feito a trilha top do lugar, a Garganta do Diabo, achamos que o Circuito Superior seria algo bem parecido com o que já tínhamos feito e decidimos então, iniciar pelas Circuito Inferior, pois nos ofereceria novas paisagens.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   Depois vimos que essa decisão foi muito bem acertada. Logo no início da trilha há uma escadaria que dá acesso a uma lanchonete, banheiros e bebedouros. Toda a trilha é feita por caminhos suspensos, percorrendo dentro da floresta, por isso, tem um clima bem agradável devido a umidade do ar decorrente da mata fechada.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
  Você passará por várias quedas, como: Lanusse, Alvar Nuñez, Chico, Dos Hermanas e chegará pertinho da Bossetti. A queda da Bossetti é o único ponto que o visitante fica realmente molhado, então, aquela capa de chuva, agora, talvez seja uma boa ideia para não molhar sua máquina fotográfica. Mas garanto que a diversão é garantida e caso todo mundo vá sem capa, tomarão aquele banho de cachoeira.

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU

PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
PARQUE NACIONAL DE IGUAZU
   Voltando para o ponto inicial, você pode pegar o Circuito Superior para ver do alto as quedas: Dos Hermanas, Chico e Bossetti.

   Além das trilhas comentadas, há uma outra na ilha San Martin de 700 metros e todo o passeio ocorre em aproximadamente 2 horas de duração. Você pega o barco num ponto do Circuito Inferior para cruzar o rio até a ilha. O preço do passeio é a parte e pago na entrada do parque.

   Infelizmente não consegui fazer todas as trilhas, mas as que escolhi, foram ótimas e me proporcionaram um dia incrível de muita natureza, paz e motivação para conhecer muitos outros parques pelo mundo.







Aprenda a planejar a sua viagem e não esqueça de alguns detalhes fundamentais, como:

1- O Seguro Viagem: hoje em dia, não tem como viajar para o exterior sem o seguro viagem. Há diversos no mercado, por isso, eu sempre pesquiso pelo Seguros Promo

Você preenche o destino e a data da viagem e ele faz uma busca com as seguradoras do país,  informando o melhor preço. 



2- O aluguel do carro: outro item que a gente faz perder um tempão pesquisando. Hoje, eu faço a minha pesquisa através da Rent Cars, um site que compara aluguel de carro em mais de 100 locadoras do mundo. 

Sem contar que pode pagar em Real, evitando o pagamento do IOF.









Share

Dani Turismo

Sou administradora de empresas, amo viajar, vivencio as nuances da imprensa hoteleira e desbravo o mundo mágico do turismo. Minha maior paixão é desvendar novos horizontes e eu os convido para essa viagem sem volta marcada. Esse espaço foi idealizado para que o leitor possa obter informações para a sua próxima viagem: dicas de destinos, sugestão de roteiros, hospedagens, gastronomia e as novidades do turismo.

Deixe um Recado:

30 comments:

  1. Nunca fui a Foz!
    Muita vontade de conhecer !
    Este blog, será meu guia, quando for !
    Beijocas
    KB

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz em poder ajudar com dicas de viagem. Qualquer duvida, me envia perguntas que te respondo. Bjus

      Excluir
  2. Taí, Foz é um destino que ta na lista faz um tempo mas nunca sai, sempre acabo dando preferencia a outros lugares. Gostei dessa dica de rachar o taxi, vale muito a pena, e acredito que tenha uma galera indo na mesma direção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nicole, tudo bom?
      Eu viajei sozinha e foi uma ótima oportunidade para conhecer novas pessoas. Durante a viagem, conheci uma família fantástica! Fi ótimo conhecer o Parque Argentino com eles.
      Sempre vale a pena perguntar para quem está no mesmo barco se gostaria de dividir os custos contigo, nao custa nada! :-)

      Excluir
  3. Nossa gente, muito legal!! Eu fico doida com parques assim, queria ter 12948 vidas pra dar conta de visitar todos.....haha quantos dias acham necessário pra visitar, mas pensando em otimização de tempo?

    ResponderExcluir
  4. Oi Luisa, tudo bom?
    Eu compartilho do mesmo sentimento.. kkk... muito lugar maneiro por ai!
    Eu fiz o Parque Argentino em um dia inteiro. Se fizer a mesma logística que eu fiz, sugiro que chegue cedo no parque. Caso você ame muitooooo e tenha mais um dia extra, vale a pena voltar.

    ResponderExcluir
  5. Eu sempre falo que vou pra Foz e sempre deixo pra depois. Adorei seu relato e me fez repensar para ir logo! Só fico com medo real dos quatis rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju, tudo bem?
      Eles são dóceis se não mexer com eles..kkk... as unhas são bem afiadas, então seria interessante deixá-los quietos.. kkk

      Excluir
  6. Eu tenho muita vontade de conhecer a parte argentina do Parque. Não sabia que os hotéis lá eram melhores. Bom saber! Também gostei de saber exatamente como chegar lá de ônibus. O pessoal fala bem português lá? Imagino que sim né por ser quase na fronteira. Eu achava que somente um dia era suficiente, você acha melhor dois então? Sabe se tem algum ingresso combo ou coisa assim pra ir dois dias?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Liany, tudo bom?
      É super interessante já deixar mastigado, para vocês leitores, como andar pelo local por conta própria. Além de ser uma aventura, você economiza um bom $$.
      O parque argentino é fantástico para quem gosta de curtir a natureza, tenho certeza, que você vai amar! Há combo para 2 dias, então, se você tiver tempo, vale a pena.

      Excluir
  7. Cara.. Que incrível a potência dessa água e a oportunidade de ver de Tão perto essas quedas! Essa viagem tá nas minhas prioridades, Mas sempre da ruim!
    Já tinha ouvido falar que os hotéis do lado de lá tem um custo benefício mais interessante. Vou considerar isso no meu roteiro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aninha, tudo bom?
      Então, quando eu fui, ninguém me disse sobre a vantagem de me hospedar na argentina e achei interessante escrever sobre isso. Da próxima vez, ficarei em um hotel boutique argentino pagando a mesma coisa do que um hotel simples no Brasil.

      Excluir
  8. Esse é um dos destinos mais belos do Brasil! Você tem absoluta razão: estando em Foz, o viajante não pode deixar de conhecer o lado brasileiro e o argentino. São lindos, cada um com suas particularidades. Quando fui à Foz, contratei um transfer privado para todos os passeios, pois estávamos em quatro e saiu em conta, mas achei ótimas as suas indicações de como ir de transporte público/táxi, ideal para quem está viajando sozinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suzy, tudo bom?
      A proposta foi essa mesmo, considerando uma viagem para uma ou 2 pessoas. Caso sejam 2 casais, já vale a pena rachar um carro particular ou motorista.

      Excluir
  9. Pra mim, este é um dos lugares mais lindos do mundo. Bom saber que existem meios alternativos de chegar lá, porque eu simplesmente aluguei um carro e pronto! Haha! Mas, pra mim, é fácil escolher, sim, o melhor dos dois. Para mim, foi o argentino. Gostei das visões mais próximas das cataratas, achei a visão por cima da Garganta del Diablo fenomenal, e achei bem interessante andar de trenzinho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ígor, tudo bom?
      Andar de trenzinho é uma delícia mesmo. Só recomendo que cheguem cedo, caso forem na alta temporada, porque a fila fica imensaaaaa. Geralmente, eu também alugo carro, mas resolvi fazer diferente para provar que podemos viajar com pouca grana também. a experiência foi incrível! Conheci pessoas muito bacanas pelo caminho e passeios.

      Excluir
  10. Eu estou namorando Foz algum tempo, estou planejando ir em Dezembro, aguardando uma promo para comprar. Mas sabia que hospedagem era mais barata ao lado argentino, vou começar pesquisar os Hotéis que indicou. Não vejo a hora que conhecer essa maravilha. Adorei as dicas bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mari, tudo bom?
      Acredito que você vai gostar do lado argentino, pois o parque parece maior, sem contar com a infra de restaurantes em Puerto Iguazu.

      Excluir
  11. Nossa, nunca estive no Parque Nacional de Iguazu mas tenho vontade, e esse post mostrou o quanto estou perdendo!!! Adorei as dicas dos ônibus, bem completas. Dá pra tomar banho em alguma das quedas d’água das trilhas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil, tudo bom?
      Tem uma trilha do parque argentino, que você fica bem pertinho da queda agua. Geralmente, a galera compra capa de chuva para não se molhar, mas, se o seu objetivo é se molhar... pode ir com corpo e alma, pois vai tomar um belo banho de cachu.. kkkk

      Excluir
  12. Gente, eu não sabia que os hotéis em Puerto Iguazu eram melhores do que os de Foz... Mas idenpendente de onde parta, o parque do Iguazu é sensacional, com certeza merece ser visitado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rafael, tudo bom?
      Eu fiquei sabendo após a viagem, mas quero muito me hospedar na Argentina, da próxima vez.

      Excluir
  13. A Foz do Iguaçu tem passado tantas vezes na minha timeline, nos últimos tempos, que acho que o destino me está a tentar dizer alguma coisa. Que lugar lindo! Para nos sentirmos pequeninos perante a força da natureza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ruthia, tudo bom?
      Parece que é um sinal.. kkk.. está na hora de você conhecer Foz do Iguaçu. :-)

      Excluir
  14. Fui para Foz faz tanto tempo que a parte argentina do parque nem era divulgada, mas já vi que perdi horrores! Acho que vale a pena visitar os dois lados, pelas fotos deu pra ver que cada um é lindo a sua maneira :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sonia, tudo bom?
      Os parques são lindos, tanto o brasileiro quanto o argentino. Cada um com o seu encantamento.

      Excluir
  15. Passeio sensacional! Não sabia que os hotéis do lado argentino eram melhores, boa dica! Os quatis são terríveis, todo cuidado é pouco. As fotos estão maravilhosas. Saudade de lá!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lulu, tudo bom?
      Eu também fiquei sabendo tarde sobre os hotéis na Argentina. Os do Brasil são, em sua maioria, padrão executivos, já na Argentina, você pode encontrar mais opções de hotéis boutique.

      Excluir
  16. Tive a oportunidade de visitar esse parque e fiquei completamente encantada com tamanha beleza! Visitá-lo requer planejamento. Parabéns pelo post ficou dez!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana, tudo bom?
      Sim, visitar o Parque Argentino, como eu fiz, requer planejamento e uma dose de coragem para tomar decisões rápidas. Quando você viaja sozinha e se propõe a diminuir o custo da viagem, precisa estar preparada para os imprevistos.. kkk..

      Excluir

Obrigada por sua mensagem!