Ganhe descontos

Booking.com

Aluguel de carro

Lojas Americanas

Lojas Americanas
PROMOÇÃO
Navigation

Melhores Museus de Veneza

Melhores Museus de Veneza. Veja o que fazer em Veneza para que você saia apaixonado e com muita história para contar. Entenda porque vale a pena visitar os museus, que abrigam obras e muita história valiosa da região.

Melhores Museus de Veneza. O blog Dani Turismo está participando de uma Blogagem Coletiva com outros blogueiros sobre o tema Turismo na Itália. Seguem os posts dos participantes abaixo:

Cantinho de Ná - Toscana de carro: nossas dicas de roteiros
Viagens Invisíveis - Três cidades imperdíveis na Toscana
Across the Universe - Como visitar a Torre de Pisa, na Itália

Esse tema me inspirou a dissertar um pouco sobre qual seria a melhor viagem nos tempos atuais. Uma pequena reflexão abaixo:

Há uma grande relevância na produção de uma foto perfeita para divulgar a viagem dos sonhos. Não é a toa que a famosa "selfie" (quando você tira a sua própria foto) acaba entrando sempre em polêmica e discussões, quando ela pode até causar a morte do fotógrafo. Por quê isso acontece? Pelo prazer e desafio de buscar a melhor angulação, nunca ainda tirada por ninguém.
Mas o que isso tem a ver com Veneza, Dani?


Eu já fui a Veneza algumas vezes, sendo que na minha primeira vez, foi por volta de dez anos atrás e onde, pude ter a oportunidade de conhecer vários lugares históricos fascinantes. Eu pude respirar a história de Veneza através dos principais museus da cidade. 

Quando eu acompanho as redes sociais de amigos e blogueiros, venho percebendo que os valores mudaram, infelizmente.  ESTAR em Veneza acaba sendo muito mais importante do que conhecer a sua verdadeira arte e história dentro dos museus e igrejas.
Quando pergunto se viram a belíssima obra de Tintoretto no Palácio Ducal (ou Palácio do Doge). Não sabem nem quem foi Tintoretto, um dos principais pintores italianos, precursor da era barroca, com traços dramáticos, utilizando efeitos da luz;
Quando pergunto se foram ao Museu de História Natural de Veneza, nem sabem onde ele fica;
Quando pergunto se viram as fabulosas coleções na Ca' Rezzonico, Ca' D'oro e Ca' Pesaro, nem sabem do que se trata.
Devido a isso, eu fiquei motivada a escrever sobre os melhores museus de Veneza para incentivar o leitor a conhecer um pedacinho muito especial da cidade e não somente, realizar passeios de gôndolas e  tirar fotos na Praça São Marcos ou ilhas de Murano e Burano.

Quais são os museus imperdíveis em Veneza?

1- Palácio Ducal: pra mim, foi o lugar que mais me impactou devido ao sofrimento de alguns interventores por não respeitarem a lei local. Sem contar com as paredes todas ornamentadas com arte de um valor incalculável e uma arquitetura gótica esculpida nos grandes blocos de mármore, responsáveis por uma fachada exuberante.



Ele já foi uma fortificação construída aos moldes do Palácio de Diocleciano, em Espalato.  Visitei as ruínas do Palácio de Diocleciano, em Split (na Croácia). O Diocleciano foi um imperador romano, que praticou uma matança generalizada para limpar o cristianismo do Império Romano. Ele e seu império militar perseguia os cristãos para restaurar a pureza moral do Império Romano.
Mas houve um incêndio que destruiu a face da fortificação impressa no século IX, ocorrendo uma reconstrução durante séculos. Outros incêndios ocorreram no interior do palácio, ocasionando a reedificação de várias salas.  A partir de 1577, Ticiano (principal representante da escola veneziana do Renascimento) e Paolo Veronese (importante pintor da Renascença italiana), foram chamados a decorar os interiores do palácio.
Já no século XVII, algumas edificações foram implementadas no palácio, pois ele era sede dos tribunais encarregados de prevenir e reprimir crimes penais.  Foram construídas novas prisões do outro lado do rio e a ponte do suspiro, por onde o preso daria o seu último suspiro antes da execução.



2- Museu Correr: localizado em frente a Basílica, ocupa boa parte da edificação da Praça São Marcos. As obras expostas nele marcam o desenvolvimento e crescimento de Veneza através de documentos, artes e mapas pertencentes a família Correr, uma das mais antigas famílias venezianas.
Para quem já foi a Veneza, vai lembrar de uma edificação em formato de U na Praça São Marcos. Mas ela nem sempre foi assim, pois esse formato aconteceu quando Napoleão invadiu Veneza e mandou destruir uma igreja ao lado dos gabinetes e residência dos procuradores da República, autoridades políticas na época da Veneza Republicana.
Napoleão mandou construir a Ala Napoleônica, que unindo as 3 edificações, onde foi sede do Palácio Real da corte francesa em Veneza. Hoje, as 3 alas abrigam 3 importantes museus em Veneza: o Museu Correr, o Museu Arqueológico de Veneza e a Biblioteca Marciana.
A arquitetura neoclássica logo na entrada do Museu Correr abrigou a famosa Imperatriz Sissi, a Elizabeth da Baviera.  O complexo de salas contém os aposentos de Sissi, além das salas de almoço, jantar, estudos e de audiência. Muitos móveis de época, tapeçarias e obras de arte decoram os ambientes.
Os itens do Museu Correr são surpreendentes, desde pinturas em pedaços de madeiras,  mapas, quadros gigantes dos senadores e procuradores, além da sala dedicada ao arsenal (muito valorizado na época devido as batalhas venezianas contra os turcos).

Obs: ainda estou pesquisando em meus arquivos antigos fotos tiradas no Museu Correr. Infelizmente, eu não tinha uma organização como hoje de catalogar as fotos e fazer back ups das viagens. 
3- Galerias da Academia de Veneza: localizada logo após a ponte da Academia, ela abriga obras extraordinárias de artistas desde a época Bizantina, passando pelo Gótico até o Renascentismo. Nesse lugar estão reunidas obras importantes  de antigas igrejas e conventos, além de doações de famílias de renome, como Molin, Renier, Manfrin e Contarini, que concederam as suas obras de arte italiana às galerias.



4- Ca' Rezzonico, Ca' D'oro e Ca' Pesaro: os palácios pertenceram à famílias ricas que aproveitaram as falência dos cofres públicos venezianos, após a guerra com os turcos para obterem patentes nobres. Muitos dos palácios não estavam construídos por completo, onde a finalização das obras deu um novo frescor as fachadas de mármore esculpido, mostrando imponência à fortuna que as famílias mantinham.



Alguns desses palácios foram adquiridos pelo Conselho da Cidade de Veneza para expôr preciosidades de uma época ilustre e glamourosa. Muitas pinturas de artistas famosos, esculturas, mobiliário de época, além das impactantes salas, coleções de Murano, molduras de quadros esculpidas e adornadas a ouro: arte em geral estão expostas no interior deles.
Curiosidade: há duas entradas nos palácios, pelo canal e pela rua. Geralmente, as mercadorias transitavam pela porta do canal, abastecendo os palácios com comida, produtos, móveis e arte.
Ca' D'oro abriga uma preciosa coleção de arte pertencente ao barão Giorgio Franchetti e foi conhecida como a Casa Dourada, por conter ouro em sua fachada. Definitivamente, a sua fachada é a mais imponente e luxuosa de todas as que pertencem ao Grande Canal.
Ca' Pesaro foi construída pela família Pesaro, mas ao decorrer dos séculos foi passando para as mãos de outras famílias italianas, sendo inclusive colégio na época dos padres armênicos mechitaristas. A última dona foi a duquesa Felicita Bevilacqua La Masa, que doou o palácio para a sua cidade no intuito que virasse um museu, sendo fundado a Galeria Internacional de Arte Moderna pelo príncipe Alberto Giovanelli após comprar obras de artistas italianos na Bienal de Veneza, em 1897.
5- Museu Histórico Natural: fundado em um dos palácios mais antigos do Grande Canal, o Fondaco Dei Turchi, possui uma obra extraordinária com mais de 2 milhões de objetos, atingindo 700 milhões de anos, não ficando para trás do de Nova York e Londres.



O Museu de História Nacional abriga coleções científicas existentes em Veneza, além de doações feitas por famílias ricas italianas, sem contar com a transferência de arquivos de um museu para o outro, como coleções do Museu Correr e do Instituto de Ciência de Veneza. 

As coleções privadas são de um valor inestimado. Sempre quando entro em um museu, penso na oportunidade de estar assistindo à obras e objetos únicos, que foram doados devido a generosidade dos herdeiros, expondo um tesouro familiar ao público. 




No primeiro andar há a Galeria dos Cetáceos, onde você pode se deslumbrar com o esqueleto de uma baleia e de um cachalote, além do Aquário de Tegnue, reconstruindo um ambiente rochoso submerso do Alto Adriático.

No segundo andar, você pode ver três exposições : na trilha da vida, dedicada aos fósseis e a paleontologia; Reunir-se para surpreender, reunir-se para estudar, narra a evolução da coleção naturalista e o nascimento da museologia científica; As estratégias da vida, ilustrando a variedade de formas de vida e as complexidades de adaptações e especializações. 

Obs: não encontrei fotos para ilustrar o museu por dentro. Não lembro se na época o museu não  permitia fotografar em seu interior ou, por um descuido de uma turista interessada nas obras, fiquei lendo e assistindo tudo sobre as exposições em vez de tirar fotos. 

6- Museu do Vidro: ele fica localizado em um palácio histórico na ilha de Murano. Antes da ilha iniciar a sua produção própria, muitas peças de vidro vinham de fora do país, como Síria, Grécia e Palestina. A revolução na produção de vidro na Itália veio decorrente a criação das peças transparente, que antes, eram coloridas e opacas.
Há uma exposição mostrando o desenvolvimento das peças de vidro no decorrer dos séculos até a chegada de Napoleão que, fechou as escolas de ofício e priorizou os cristais da Boêmia. Após um período com produção parada e uma crise econômica na Europa, os vidros de Murano voltaram a serem fabricados em 1920 com uma outra roupagem, com um designer moderno (atual) para superar a crise.




Obs: ainda estou pesquisando em meus arquivos antigos fotos tiradas no Museu do Vidro. Infelizmente, eu não tinha uma organização como hoje de catalogar as fotos e fazer back ups das viagens. 

Espero que eu tenha motivado a você (leitor) em buscar novas informações sobre Veneza para que a sua viagem tenha valor cultural e um conhecimento histórico abundante. 


Se ainda não viu hospedagem em Veneza, tenho algumas sugestões de hospedagem com ótimo custo x benefício: hotéis em Mestre




Hotel PLAZA: muito bem avaliado, onde a escolha para se hospedar nele acontece devido a sua localização, quartos limpos, funcionários educados, estacionamento e café da manhã completo.
Hotel Venezia Mestre: ele é um hostel, com boa avaliação pelos hóspedes, com boa localização (perto do transporte público), quartos amplos e limpos, café da manhã bom e cozinha comunitária. 
Hotel Adria: eu já fiquei nele e adorei a localização, bem perto do transporte público para ir até Veneza. O atendimento dos funcionários é ótimo, ambiente limpo, com estacionamento e café da manhã completo. A única coisa que não gostei foi que não havia chuveiro no meu banheiro, somente ducha. Mas nada que impedisse de tomar um bom banho. 
NH Venezia Laguna Park: um dos hotéis co melhor avaliação em Mestre, onde recebe qualquer tipo de hóspede, inclusive quem possui mobilidade reduzida. Bem localizado, com ótima infraestrutura, estacionamento, academia e perto do transporte público. 
Hotel Venezia: localizado perto do centro histórico de Mestre, em frente a um shopping e com o tram para Veneza passando ao lado do hotel. Boa infraestrutura, estacionamento, café da manhã e ótima avaliação pelos hóspedes. 

Aprenda a planejar a sua viagem e não esqueça de alguns detalhes fundamentais, como:

1- O Seguro Viagem: hoje em dia, não tem como viajar para o exterior sem o seguro viagem. Há diversos no mercado, por isso, eu sempre pesquiso pelo Seguros Promo

Você preenche o destino e a data da viagem e ele faz uma busca com as seguradoras do país,  informando o melhor preço. 

 

2- O aluguel do carro: outro item que a gente faz perder um tempão pesquisando. Hoje, eu faço a minha pesquisa através da Rent Cars, um site que compara aluguel de carro em mais de 100 locadoras do mundo. 

Sem contar que pode pagar em Real, evitando o pagamento do IOF.
















Share

Dani Turismo

Post A Comment:

8 comments:

  1. Estive em Veneza em duas oportunidades e realmente não priorizei uma visita aos museus. Só conheci o Palácio Ducal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Polliana, tudo bom?
      Há muitas coisas para fazer em Veneza e tenho certeza, que numa próxima vez, você vai amar visitar os museus citados, :-)

      Excluir
  2. Tens razão, Veneza geralmente é negligenciada nos roteiros. Eu mesmo quando conheci fiquei apenas 2 dias, insuficientes para tantas atrações e para se perder na cidade. Espero voltar e passar, ao menos 5 dias como passei em Roma. Já anotando as dicas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nivia, tudo bom?
      Veneza é uma cidade linda e com muitos lugares bacanas para conhecer. Sempre quando eu posso, faço uma paradinha em Veneza para matar as saudades. A lista dos museus é boa e vale super a pena conhecê-los.

      Excluir
  3. Fomos 2 vezes à Veneza, visitamos alguns dos museus de sua lista, pretendemos voltar porque eu sou apaixonada pela cidade e com certeza iremos visitar uns que não fomos e que gostaríamos de conhecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem?
      Acredito que será uma volta triunfal, amo Veneza e sua magia.

      Excluir
  4. Vamos em Veneza em 2020.. Obrigado pelas dicas, devidamente anotado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rafael, tudo bem?
      Amo Veneza! Fico feliz que as dicas dos museus foram bem vindas! Curtem bastante!
      Caso precisar de cotação de aéreo e hospedagem, posso enviar para você sem compromisso. Me envia um email pelos contatos do blog :-)

      Excluir

Obrigada por sua mensagem!