Agência de Turismo

Ganhe descontos

Booking.com

Aluguel de carro

Navigation

Pavilhão Japonês no Ibirapuera

Conheça o Pavilhão Japonês no Parque Ibirapuera e veja a programação anual da imigração japonesa em São Paulo.


Que tal um passeio agradável pelo Parque do Ibirapuera durante o seu tempo livre? Pode ser uma boa opção para exercitar o corpo e relaxar a mente. O parque tem uma grande importância para a cidade de São Paulo, sendo considerado o pulmão da selva de pedra.

O Ibirapuera possui uma área de 1.584.000m2, por isso, tem alguns portões de acessos de pedestres e veículos em funcionamento. Ao todo são 10 portões e cada um com sua especificação de horários de circulação. 

Um lugar pleno onde é moradia de animais de pequeno porte, além dos pássaros e borboletas, que são atraídos devido a preservação da flora local, com inúmeros espécies de árvores, constituindo um bosque lindo e heterogêneo. 

O que fazer no Ibirapuera?

Há tantas opções de lazer dentro do parque, começando pela pista de cooper e ciclofaixa, que são lugares mais disputados nos finais de semana e feriados. Você pode usufruir também do parque infantil, quadras poliesportivas, aparelhos de ginástica, campo de futebol, além de museus renomados como o MAM (Museu de Arte Moderna), o Auditório Ibirapuera, a Fundação Bienal, a OCA (projeto de Oscar Niemeyer), o Pavilhão das Culturas Japonesas e o Pavilhão Japonês.

Nesse post, eu falarei como foi a minha experiência no Pavilhão Japonês, um dos símbolos eternos da cultura japonesa em São Paulo e pouco divulgado pelas medias sociais. 

FOTO RAFA GUSHI DO BLOG SÃO PAULO DA GAROA

Você já visitou o Pavilhão Japonês no Ibirapuera?

Eu não sou de São Paulo, mas sempre quando visito a cidade, tento passar no parque para renovar as energias e, confesso, que nunca havia ouvido falar sobre um lugar no Ibirapuera, que fosse vinculado à imigração japonesa. Fui há pouco tempo e falarei mais das minhas impressões aqui.

Ele fica localizado bem próximo da ponte, onde a galera gosta de tirar foto do pôr do sol. O acesso seria pelo portão 10, próximo também ao Planetário, Museu Afro e Pavilhão das Culturas Brasileiras. Deixarei a localização via Google Maps abaixo.



O Pavilhão Japonês foi projetado e construído para que fosse o símbolo da amizade entre dois países (Brasil e Japão). O projeto executado pelo professor Sutemi Horiguchi priorizou materiais e técnicas (estilo Shoin) japonesas e teve como inspiração o Palácio Katsura, antiga residência de verão da Família Imperial em Kyoto.

Toda a estrutura edificada foi trazida do Japão, desmontada, em 1954. Além das madeiras modulares, vieram também as rochas vulcânicas dos jardins e a lama de Kyoto, dando textura às paredes. Houve toda uma preocupação de harmonizar as áreas internas com as externas, que são um prolongamento da edificação. 



Ele foi doado para a Prefeitura de são Paulo e desde 1955, a Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (o Bunkyo), através de um convênio com a Prefeitura de São Paulo, é a responsável pela administração, manutenção e divulgação de eventos no local. 




Para entrar, o visitante paga um valor simbólico para a manutenção do espaço, sendo que estudantes, crianças e idosos pagam meia. Assim que você entra, já percorre um caminho delineado pelo jardim, podendo admirar o reflexo da ponte na lâmina d'água do lago do Ibirapuera.



Algumas árvores possuem uma história, que é revelada através de placas registrando visitas ilustres  como, por exemplo, o pinheiro japonês, que foi plantado pelo imperador e imperatriz do Japão, durante a sua visita ao Brasil em 1967.



Perto do lago, há uma escultura em pedra, com um poema haiku (forma curta de poesia japonesa), de Nempuku Sato (1898-1979), que foi o mestre do haicai (a poesia japonesa da natureza e das estações) no Brasil. O haicai representou o estímulo ao aprendizado da língua e tradição literária japonesa, além da recuperação e conservação da identidade literária no Brasil.



O grupo de blogueiros foi recebido pelo sr Eduardo Goo Nakashima (secretário geral do Bunkyo) e o sr Claudio Kurita (presidente do Pavilhão Japonês), que nos apresentaram a infraestrutura do Pavilhão, que esté dividida em: salão nobre (onde era feita a cerimônia do chá), salão de exposição (um pequeno acervo permanente da arte japonesa), salas extras e um lago com mais de 300 carpas (símbolo de persistência japonesa).

FOTO RAFA GUSHI DO BLOG SÃO PAULO DA GAROA

Adorei a homenagem selando a amizade do Japão com o Brasil, plantando árvores típicas de cada país: o Ypê (Brasil) e a Cerejeira (Japão). Você imagina na primavera como esse jardim deve ficar? Uma plenitude de beleza pura e natural.



Um belo e escondido espaço da imigração japonesa no Ibirapuera, onde reina a paz em pleno caos da maior metrópole brasileira. Para quem tem afinidade com a cultura japonesa, vale a pena conferir a programação do Pavilhão Japonês, que promove atividades ao longo do ano: festivais, apresentações de danças, músicas e exposições culturais.



Eu sou agente de viagem e ajudo o cliente a montar o seu roteiro dos sonhos. Os preços da passagem aérea + hospedagem + aluguel de carro + seguro viagem são conforme o mercado. Entrem em contato para conferir os valores dos pacotes e receba o seu roteiro GRATUITO! 
Contato: blog@dani.tur.br.



Aprenda a planejar a sua viagem e não esqueça de alguns detalhes fundamentais, como:

1- O Seguro Viagem: hoje em dia, não tem como viajar para o exterior sem o seguro viagem. Há diversos no mercado, por isso, eu sempre pesquiso pelo Seguros Promo

Você preenche o destino e a data da viagem e ele faz uma busca com as seguradoras do país,  informando o melhor preço. 

 

2- O aluguel do carro: outro item que a gente faz perder um tempão pesquisando. Hoje, eu faço a minha pesquisa através da Rent Cars, um site que compara aluguel de carro em mais de 100 locadoras do mundo. 

Sem contar que pode pagar em Real, evitando o pagamento do IOF.







Share

Dani Turismo

Post A Comment:

12 comments:

  1. Muito legal o pavilhão japonês no Ibirapuera! Me senti de volta ao Japão, especialmente aos templos e jardins de Quioto! Tem realmente muita coisa para fazer no parque, que a gente nem imagina!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marina, tudo bem?
      Eu fiquei surpresa quando soube da existência do Pavilhão Japonês, no Parque Ibirapuera. Um parque cheio de surpresas e novidades boas.

      Excluir
  2. Não acredito que vivi até os 23 anos em São Paulo e não conheço o Pavilhão Japonês no Ibirapuera. Assim que acabar a pandemia vou dar uma passadinha para visitar, parece super interessante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Victoria, tudo bem?
      Inacreditável ter um Pavilhão Japonês no Ibirapuera e pouco divulgado, não?

      Excluir
  3. Já sabia sobre o Pavilhão Japonês no Ibirapuera mas nunca visitei. Quando moramos na cidade sempre deixamos para depois visitar as atrações, ne?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruno, tudo bem?
      Isso acontece muito! Por isso que faço questão de ir a um lugar diferente na minha cidade, nos dias livres. Assim, a gente conhece melhor a cidade e não fica com esse sentimento de que nunca foi.

      Excluir
  4. Adorei a dica sobre o Pavilhão Japonês e o que fazer no Parque Ibirapuera. Demais!!! Um programa imperdível e cheio de história em São Paulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lulu, tudo bem?
      A viista ao Pavilhão Japonês foi o ponto alto no Parque do Ibirapuera. Amei descobri mais um destino cheio de história no parque paulista.

      Excluir
  5. Não sabia desse Pavilhão Japonês no Ibirapuera, muito interessante a tua dica, ainda mais eu que amo um verdinho. Dica anotada para uma ida a São Paulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cleo, tudo bem?
      O Parque Ibirapuera possui uma gama de opções de lazer. O Pavilhão Japonês é uma delas, onde você poderá se conectar com a cultura japonesa.

      Excluir
  6. Não sabia que havia um Pavilhão Japonês dentro do Ibirapuera!! Só vi o parque de passagem, nunca caminhei por lá, quando voltar em Sampa com certeza vou colocar no roteiro!

    ResponderExcluir

Obrigada por sua mensagem! Você pode receber mais informações enviando as suas dúvidas para o email comentarios@dani.tur.br