Agência de Turismo

Ganhe descontos

Booking.com

Aluguel de carro

Navigation

Turismo Religioso em Minas Gerais

As cidades religiosas mineiras são conhecidas por suas inúmeras igrejas, que adornam cada curva. Elas foram palco de uma intensa exploração de minérios preciosos, que eram levados para o exterior através do Caminho Imperial até Paraty, onde aconteciam os embarques marítimos. Esse caminho, hoje, é conhecido como Estrada Real, que foi oficializado pela família Real, na época colonial. 


As cidades foram acessadas com a vinda dos bandeirantes, que abriam caminhos em busca de riquezas minerais como ouro, prata e diamantes. Na maioria das vezes, os grupos eram constituídos por descendentes de portugueses (os bandeirantes) e seus escravos (índios), que saíam de São Paulo para desbravar novas riquezas, em outros territórios. Como havia um grande paredão verde (Serra do Mar) entre São Paulo e o litoral, o jeito era conquistar novos lugares tendo a margem do rio Tietê como um grande facilitador para acessar "o interior de São Paulo" e outros estados em XVI e XVII, ultrapassando os limites do Tratado de Tordesilhas, firmado por Portugal e Espanha para delimitar a posse das terras descobertas no Novo Mundo. 

Eu demorei muito para conhecer as cidades de Tiradentes, Ouro Preto, Congonhas e Mariana. Desde o princípio, eu sabia que iria ver muita beleza durante a viagem, mas para isso, eu também teria que desembrulhar as histórias de escravidão entranhadas em cada porão, beco e nas próprias igrejas. Eu posso dizer que a minha aventura pelas cidades religiosas mineiras foi um turbilhão de sentimentos, porque não é fácil para mim somente observar os acontecimentos. Eu gosto de ler sobre o desenvolvimento do lugar e conhecer os museus locais, que apresentam a real história.

O choque da realidade é perturbador! Ler jornais de época, que anunciavam a venda dos escravos em praça pública, me deixou sem chão e sem o direito de reclamar da minha vida. As viagens são um grande portal de reflexão para florescer novas visões de mundo, que poderão ser aplicadas em nossas vidas cotidianas. A minha viagem foi em 2016 e após tanto tempo, eu escrevo para vocês o meu relato. 

Nesse post "Turismo Religioso em Minas Gerais"falarei de algumas cidades mineiras históricas, que são imperdíveis. Seguem abaixo os principais pontos turísticos de Tiradentes, Ouro Preto, Congonhas e Mariana:

Como chegar nas cidades históricas?

A melhor forma de chegar, para quem não mora nos estados de São Paulo, Mina Gerais e Rio de Janeiro, é de carro alugado, no aeroporto de Belo Horizonte.

A distância da cidade do Rio de Janeiro até a cidade mais próxima, Tiradentes, é de aproximadamente 4h30min, já saindo de São Paulo capital é de 6h50min, pois o percurso além de ser maior, possui muita serra. A menor distância está entre Belo Horizonte e Mariana com aproximadamente 2h de viagem de carro. 


TIRADENTES

Na primeira vez que fui à Tiradentes, acabei dormindo em São Joao del Rei. Vejam dicas do que fazer na cidade. Eu achei bacana essa ideia de dormir na cidade vizinha, pois, como desbravadora, achei que seria perfeito conhecer duas cidades próximas na mesma viagem. Mas a realidade foi outra, pois acabei mais tempo em São João del Rei e pouquíssimo tempo em Tiradentes. Passados alguns anos, retornei à Tiradentes, com a proposta de dormir algumas noites na cidade e tentar conhecê-la com mais calma, admirando cada encaixe de paralelepípedo na rua. 

O que fazer em Tiradentes? 

O circuito das igrejas é a principal atração da cidade, mas fiquei pasmem quando percebi que poucos visitam o Santuário da Santíssima Trindade. A primeira visita a igreja Matriz de Santo Antônio a gente nunca esquece. Se possível, contrate os serviços dos guias locais, que explicarão cada detalhe da arquitetura, adereços, altar e o órgão, construído no Porto. Senta que lá vem história! ...kkk .. reserve, pelo menos, 30 min para escutar as histórias e mais outros 30 min para tirar fotos. 

Eu adoro tirar fotos sozinha, uma prática adquirida após perceber que não é todo mundo que viaja comigo, gosta de tirar tantas fotos como eu.. kk.. Devido a isso, às vezes, eu demoro um pouco mais de tempo nos lugares, pois além de fazer pose, ainda tenho que encontrar um lugar estratégico para o celular e correr no tempo certo do temporizador, antes da fatídica foto. No final, acho que me divirto mais do que os outros em realizar toda essa performance. 

Saindo da igreja Matriz, sugiro que dê a volta no quarteirão e já suba para a Santíssima Trindade. Se estiver de carro, deixe-o estacionado e curta a vibe de andar pelas ruas históricas com calma, namorando as dobras arquitetônicas das casas de Tiradentes. A terceira igreja é a de São Francisco de Paula, mas deixe-a para o final de todo percurso turístico, pois assim, além de apreciar Tiradentes de cima, ainda contempla um belo pôr do sol com vista para a Serra de São José. 

Aproveite para conhecer os museus de Tiradentes, como o museu de Sant'Ana, a antiga cadeia e em frente a igreja Nossa Senhora dos Rosários, além do museu de Padre Toledo. Há muitas galerias de artes espalhadas pelas ruas históricas e para quem gosta, vale a pena dar uma olhadinha. Para quem gosta de comprinhas, as lojas mais próximas do Largo das Forras possuem o melhor preço para lembrancinhas. 

Não deixe de conhecer o Chafariz de São José e o Bosque da Mãe D'Água, o último, sugiro que não visite sozinha (o). Por ser um lugar mais afastado, sempre vá com alguma companhia e avise na recepção do hotel que está indo para lá. Pode ser um certo exagero, mas para quem vive numa cidade grande violenta, acaba tomando certos cuidados quando está viajando sozinha. O melhor ensinamento de uma viagem sola é saber até onde pode ir para evitar qualquer tipo de problema. 

Para quem gosta de aprofundar a sua estadia na cidade, também pode percorrer a Via Cruces, como exemplo. Segue a rota: 

Rua do Sol

Largo do Rosário

Rua direita

Rua da Câmara

Largo das Forras

Largo do Ó

Onde comer em Tiradentes?

A cidade de Tiradentes não acorda tão cedo quanto os galos, por isso, sugiro que tome um café da manhã com calma e estique o horário do almoço para o final do dia, quase uma janta. Eu almocei todos os dias na cidade, mas curti bem mais o circuito gastronômico noturno. 

Alguns restaurantes possuem chefes de primeira linha, por isso, a escolha do restaurante ideal para quem fica poucos dias acaba sendo árdua...kkk.. Eu indico alguns, como o Uai Thai, Tragaluz e Angatu para jantar.  

OURO PRETO

Eu me surpreendi com a cidade de Ouro Preto, muito famosa pelos carnavais universitários nas mídias sociais, mas se transformando numa íntegra cidade religiosa no resto do ano. Que lugar para ter tantas igrejas por metro quadrado! Fascinante a visão, mas nem tanto, quando se entende o simbolismo de cada igreja presente. Cada uma defendia ou protegia um grupo distinto, que a construía como sua voz indireta à congregação local. A luta pelo poder, pela vida ou sobrevivência é refletida em cada altar de Ouro Preto.

O que fazer em Ouro Preto?

As igrejas mais visitadas são a igreja de São Francisco de Paula, Nossa Senhora do Rosário, Matriz de Nossa Senhora do Pilar, Nossa Senhora das Mercês e Perdões, São Francisco de Assis, Nossa Senhora do Carmo e Matriz de Santa Efigênia. 

Alguns museus são imperdíveis, como: museu da Inconfidência, museu do Oratório, museu do Aleijadinho e a Casa dos Contos, o último foi revelador, onde era uma das casas grandes da época da escravidão, cheia de elementos históricos desde as partições sociais, onde vivia a burguesia até a senzala, no porão, onde viviam os escravos. É arrepiante ver todos aqueles instrumentos de tortura, além das valas, por onde caíam os dejetos da casa grande, direto ao porão. A casa também possui exposições sobre a história da moeda brasileira e livros datados no século XVI.

Eu não me aventurei a conhecer nenhuma mina local, mas há um circuito bem conhecido pelas minas de Ouro Preto. Para quem gosta de mirantes vale a pena ir até o mirante do Morro de São Sebastião e o mirante da Universidade Federal de Ouro Preto. 

Onde comer em Ouro Preto?

Eu não sou muita fã de parar para almoçar. Adoro esticar o café da manhã e sentar novamente a mesa no final do dia. Para uma viagem sem crianças, acho que o dia rende muito dessa forma. Lógico que, para uma família com crianças, essa estratégia escorre direto para o ralo. 

Ouro Preto possui muitos restaurantes, sendo difícil a escolha, mas eu sugiro alguns como: restaurante Contos de Réis, Bené da Flauta e o Passo Pizza Jazz. 

MARIANA

Quando cheguei em Mariana, não sabia muito bem o que eu iria encontrar, após a trágico rompimento da barragem em 2015. A tragédia não afetou o centro histórico de Mariana, preservando as principais igrejas da cidade. Eu sempre deixo o carro estacionado em ruas de fácil acesso, pois fica melhor para sair da cidade. A grande curtição das cidades pequenas é você circular a pé pelas ruelas, para interagir melhor com a cultura local. 

O que fazer em Mariana?

Eu fiquei pouquíssimo tempo na cidade, praticamente, algumas horas, como um ponto no caminho de volta para a cidade do Rio de Janeiro. Devido a isso, o meu foco foi em conhecer a Catedral de Nossa Senhora de Assunção e a igreja Nossa Senhora do Carmo: o Pelourinho, além da igreja de São Francisco. Quando eu fui, em 2016, ambas as igrejas estavam fechadas. O único edifício aberto era a Câmara Municipal de Mariana, onde já foi uma senzala e depois, prisão, até virar a sede da Câmara Municipal. No porão do prédio, onde era a antiga senzala, havia uma exposição de objetos dos artistas plásticos locais. Foi ali que comprei o meu primeiro anjo querubim, entalhado na madeira direto com o artista. 

Onde comer em Mariana?

Eu havia anotado alguns lugares, caso parasse para comer em Mariana, como Chopperia Point 07 e restaurante Gaveteiros. 


Eu sou agente de viagens e ajudo o cliente a montar o seu roteiro dos sonhos. Os preços da passagem aérea + hospedagem + aluguel de carro + seguro viagem são conforme o mercado. Entrem em contato para conferir os valores dos pacotes e receba o seu roteiro GRATUITO! 

Contato: blog@dani.tur.br

O blog Dani Turismo está participando de uma blogagem coletiva onde o tema é Lugares Religiosos. Compartilho com vocês os canais de todos os participantes dessa ação. 

1- Destinos Por Onde Andei… - Santuário do Bom Jesus do Monte, Braga, Portugal

2- Vamos viajar pra onde agora - Santuário de Fátima em 1 dia

3- Across The Universe - Igrejas de Brasília: 7 templos icônicos para conhecer na capital

4- Entre Polos - Santuário Nacional de Aparecida

5- Mulher Casada Viaja - Catedral de Amalfi: relíquia entre paisagens arrebatadoras 

6- 6 Viajantes - Praça do Templo de Salt Lake City. Visitando a sede de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

7- Chicas Lokas Viagens- Os 4 mais Belos Santuários em Minas Gerais

8- Viajante Móvel - Madonna della Corona, Itália – incrível igreja encravada na rocha

9- Uma Viagem Diferente - Os Principais Templos em Bangkok 

10- Recordações de Viagens - Necrópole do Vaticano e o túmulo de São Pedro



Share
Next
This is the most recent post.
Previous
Postagem mais antiga

Dani Turismo

Post A Comment:

14 comments:

  1. Minas Gerais é um destino riquíssimo para um turismo religiosos. Adorei essa seleção de cidades. Lugares que eu amei visitar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Angela, tudo bem?
      Para quem gosta de cidades históricas, o estado de MG está repleto delas. :-)

      Excluir
  2. Dá vontade de conhecer cada cantinho dessas cidades da rota do turismo religioso de Minas Gerais, mesmo sem ser religiosa! Uma mais linda que a outra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Helen, tudo bom?
      Indiferente de qualquer religião, as cidades mineiras citadas fizeram parte de uma importante história do Brasil no mundo.

      Excluir
  3. Belíssimas cidades, mergulho doloroso na nossa história, como você bem disse, Dani. Apesar de minha viagem não ter ganhado o rótulo de turismo religioso em Minas Gerais, sem dúvida as igrejas foram as protagonistas da viagem, mas visitamos uma mina em Mariana, comemos muito bem, e tehno fotos engraçadíssimas vestindo roupas de época. Concordo com você: tirar as próprias fotos é bem divertido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Márcia, tudo bem?
      Eu consigo tirar as minhas fotos mais rápido de tanto que eu já treinei...kk.. adoro esses momentos, pois sempre poses engraçadas.

      Excluir
  4. Dani, sou louca para conhecer essa cidades, e agora com esse post todo detalhada de turismo religioso em Minas Gerais, aumentou ainda mas minha vontade. Adorei ! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Hebe, tudo bem?
      As cidades mineiras são lindas e cheias de histórias brasileiras.

      Excluir
  5. Eu amo esse trecho das cidades históricas, mas as igrejas de ouro preto são imbatíveis!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Polliana, tudo bem?
      Eu fiquei impressionada com as igrejas de Ouro Preto, cada tribo com a sua igreja.

      Excluir
  6. O turismo religioso em Minas Gerais é muito forte, temos tantas cidades históricas com inúmeras igrejas e capelas, onde o que não falta são relíquias e atrações voltadas para este nicho turístico. Vale a pena conhecer Minas Gerais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gisele, tudo bom?
      Minas Gerais é um estado fabuloso! Muitas atrações para o turismo.

      Excluir
  7. Conheço todas as cidades citadas e fiquei muito feliz em ver que você foi muito justa em seu relato. São cidades lindas, que respiram história e merecem ser visitadas por todos. Conheço bem essa sensação de prazer e angústia ao conhecer as cidades. É muito difícil encarar a escravidão de forma tão palpável. Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, tudo bem?
      Talvez, por eu ser mais sensível aos erros humanos, fico mexida e mal quando vejo uma realidade tão cruel e desumana. Posso dizer que essa viagem foi uma combinação de amor pelas cidades históricas e ódio pelos relatos lidos em cada museu.

      Excluir

Obrigada por sua mensagem! Você pode receber mais informações enviando as suas dúvidas para o email comentarios@dani.tur.br